Crítica do disco Cosmopaulista na revista"London Jazz News"(UK)

Tradução para o português via Google


Resenha por Jon Turney


Aqui está um refrescante coquetel brasileiro, recém mixado pelo baterista Mario Gaiotto para sua primeira gravação como líder. Há muitos retratos de jazz de Nova York, mas este disco é inspirado na cidade natal de Gaiotto, São Paulo, com seu ensopado de diferentes culturas, e pelo que a qualidade de seus acompanhantes indica que é uma cena de jazz florescente.


O pianista Daniel Grajew e o baixista Sidiel Viera formam um trio de classe mundial que responde à escrita de Gaiotto com fluência rítmica e brio solo. Suas peças percorrem alegremente estilos originários de diferentes partes do vasto território brasileiro – Choro e Maxixe e outros menos conhecidos. Como indicam títulos como a abertura, Going to Maghreb, e Armenian Heavy Metal, ele também sampleia outras correntes musicais que circulam por São Paulo.


Os ritmos podem ser intrincados, mas a música sempre flui. Há algumas inflexões brasileiras esperadas – Enquanto Você Dormia (talvez referindo-se ao filme Enquanto você dormia, embora exista uma série de TV com o mesmo título em português) pode ser uma música desconhecida de Jobim. Mas formas de dança menos familiares estão subjacentes a outras faixas que também mostram o jeito feliz do líder de escrever linhas que são novas, mas soam como se fossem músicas que você já conhece.


Gaiotto é soberbo por toda parte, sempre fortemente presente, mas aprimorando o jogo de seus brilhantes trios, nunca os sobrepujando.


Os arranjos ocasionalmente caem na tentação que parece dominar todo mundo hoje em dia de fazer um solo de bateria flutuar sobre uma figura de ostinato da banda, que produz o efeito usual de um pouco de constipação, mas passa rapidamente. de um momento de flutuação para o próximo.


Há muitos músicos fora do país inspirados na música brasileira, mas aqui é gratificante voltar à fonte e ouvir novos trabalhos de músicos que absorveram esses sons enquanto cresciam. Se há um personagem nacional em exposição, é ensolarado, animado, cheio de espírito de dança. Uma extremidade de um espectro de trio de piano, em outras palavras, que talvez veja o minimalismo nórdico legal e filtrado por ECM de um Tord Gustavsen na outra. Isso pode render um tipo diferente de elevação, mas você está com disposição para música que é menos orante, mais insistentemente positiva, vá para o Brasil.


Jon Turney escreve sobre jazz e outras coisas de Bristol. Twitter: @jonwturny


Fonte: https://londonjazznews.com/2022/08/04/mario-gaiotto-cosmopaulista/





8 visualizações0 comentário