Cosmopolita Paulista

     Mário Gaiotto nasceu em 1979, em Tietê-SP, cidade conhecida por ser berço de Camargo Guarnieri, Itamar Assumpção, Cornélio Pires e Marcelo Tupinambá. Sua mãe vinha de uma família de imigrantes italianos extremamente pobres, porém com uma enorme cultura musical. É devido à essa herança cultural que, em sua casa, ouvia-se Bach, Villa-Lobos, Dave Brubeck, Billie Holiday, Frank Sinatra, Pat Metheny, Beatles, Led Zeppelin, Elis Regina, Tom Jobim, Milton Nascimento e tantos outros grandes nomes da música popular brasileira, do jazz, do rock e da música clássica. 


     Aos dez anos, ele conseguiu convencer seu pai a lhe comprar uma bateria, embora este tentasse persuadi-lo a trocar a bateria por um carrinho de brinquedo. Após alguns meses aprendendo sozinho, começou a tomar aulas com o professor Luís Marcos Caldana - renomado professor de percussão sinfônica, também natural de Tietê - que o encorajou a ingressar num dos mais importantes conservatórios da América Latina, o Conservatório Dramático e Musical Dr. Carlos de Campos - ou simplesmente Conservatório de Tatuí, como é conhecido internacionalmente. 


     Aos 17 anos decidiu que seguiria carreira profissional como músico e foi aceito em três universidades, sendo USP e UNESP para o curso de percussão sinfônica e UNICAMP para o curso de bateria e jazz. Sua opção por cursar a UNESP deu-se por duas razões, porque queria residir na cidade de São Paulo e por esta universidade possuir o mais renomado curso de percussão erudita do Brasil, contando também com o principal grupo de percussão contemporânea, o grupo PIAP. 


     Em seu segundo ano de universidade fundou, juntamente com alunos da Universidade Santa Marcelina, o grupo Mandu Sarará, um quinteto de música brasileira instrumental e jazz. Com este grupo gravou dois álbuns, o primeiro, produzido por Swami Jr. (violonista e arranjador/Omara Portuondo) com participações especiais de Nailor Proveta (clarinetista, compositor e arranjador/banda Mantiqueira) e Hermeto Pascoal; o segundo com participação de Danilo Caymmi (cantor, compositor, flautista/Banda Nova de Antônio Carlos Jobim). Com este grupo realizou turnês nacionais percorrendo diversas cidades do Brasil - sendo uma dessas turnês sob a curadoria de Zuza Homem de Mello -  e turnês internacionais pelos Estados Unidos e Índia. 


     Após formar-se na universidade recebeu um convite para ingressar na banda de Antônio Nóbrega. Nesta altura consagra-se como um importante baterista de música brasileira, sendo citado, inclusive, em livros de bateria no Brasil. Com o grupo de Antônio Nóbrega realizou a gravação do álbum e DVD do show “Lunário Perpétuo”, dos álbuns “Nove de Frevereiro volumes I & II e do DVD “Nove de Frevereiro”, em qual teve a oportunidade de atuar como baterista da Orquestra Spok Frevo.
     Também com o mesmo grupo realizou por vários anos turnês por todo o Brasil, apresentando-se principalmente em grandes e tradicionais teatros das capitais dos estados brasileiros. Em alguns desses concertos houveram participações especiais de grandes nomes da música brasileira, dentre eles Caetano Veloso, Gilberto Gil e Paulinho da Viola. Tocou também em diversas edições do Carnaval de Recife e excursionou por Portugal, Rússia e França. 


     Nesta fase de sua carreira, Gaiotto teve a sorte de poder estudar com o professor Cláudio Leal Ferreira, considerado por muitos um dos maiores professores de Harmonia e Arranjo do Brasil. As aulas lhe trouxeram uma nova compreensão sobre o universo dos acordes e da composição, permitindo-lhe que finalmente atingisse o resultado almejado em suas composições.


     Em seus mais de 20 anos de carreira, Mário Gaiotto trabalhou eventualmente com incontáveis músicos e artistas, especialmente no âmbito da música brasileira, mas também do jazz e do rock. Dentre eles, alguns se destacam, como é o caso do pianista de jazz e música brasileira Benjamim Taubkin, com quem teve a oportunidade de gravar uma trilha de cinema e tocar em diversas situações, sendo uma delas com a presença do percussionista israelense Itamar Doari (Avishai Cohen, baixista); do pianista Hércules Gomes, com quem realizou diversas apresentações no festival Jazz Plaza, em Cuba; do clarinetista Nailor Proveta, líder da Banda Mantiqueira; do acordeonista Toninho Ferragutti; do saxofonista Teco Cardoso; do cantor e compositor francês Nicolas Són.


     Trabalhou também tocando na noite da cidade de São Paulo, em bares, restaurantes e casas de shows, tocando samba, jazz, música brasileira e rock. Foi contratado como baterista de algumas franquias de musicais, tais como Rock in Rio, Shrek, Aida e We Will Rock You, esta última com parte da equipe vinda do espetáculo original inglês. 


     Em 2018, logo após seu casamento, passou seis meses com sua esposa em Portugal, numa espécie de meio-ano sabático. Matriculou-se na Escola de Jazz “Luiz Villas-Boas” do Hot Clube de Portugal e estudou com o baterista Bruno Pedroso, o mais requisitado da cena jazzística de Portugal. 


     Ao voltar, em 2019, aplicou para o edital do Proac, oferecido pelo governo do Estado de São Paulo. Foi premiado com uma turnê de seis shows pelo Estado, onde apresentaria suas composições em trio, porém a pandemia impediu que os shows fossem realizados. A verba foi redirecionada para a gravação de uma apresentação em estúdio, para ser exibida por dez municípios do estado, através de mídias sociais. A gravação aconteceu em julho de 2021 e as apresentações em setembro e outubro. O áudio resultante da apresentação está sendo lançado, em 2022, como um álbum, intitulado Cosmopaulista.